terça-feira, 1 de abril de 2008

PRECISAS SABER

Que a Amizade sincera não comporta dores, mas prazer;
angústias, mas serenidade;
nem decepções, porque não vive de expectativas, mas de aceitação.
Que o Amor verdadeiro é incondicional: não estranha, não critica, não questiona.
E, quando não sabe o que fazer, silencia. Reflete e conduz à reflexão.
Amigos são cúmplices mesmo quando discordam, por simples questão de fidelidade.
Choram a dor do outro, riem à sua alegria, consolam suas tristezas em abraços apertados.
Caminham de mãos dadas apoiando-se mutuamente pelas curvas do caminho.
O Amor colore a Amizade com nuances de variadas emoções: rosa de ternura, verde de esperança, azul de paz, amarelo de alegria, laranja de confiança, lilás de solidariedade, vermelho de vitalidade, branco de plenitude.
Amigos olham-se nos olhos num encontro profundo de sensibilidades.
A Amizade e o Amor consolidam-se na presença e na construção da intimidade.
Na naturalidade com que buscam e oferecem colo.
Assim escrevem sua história e traçam um doce caminho, sem dúvidas, sem percalços, sem tropeços. Doam-se e se multiplicam. Em gestos de afeto, em suave companhia.
A Amizade e o Amor fundem-se na alma, de onde se originam.
E nunca têm fim.
Assim é, se for pra valer.
Com entrega e sentimento. Com intensidade e permanência.
Com carinho e paciência.

Um comentário:

Irinéa Maria disse...

Façamos assim: quando estiveres longe de mim, manda-me beijos, borboletas coloridas, alegres trinares...
Quando estivermos juntos, abraça-me: de verdade.
Abraço que me permita concordar em abraçar-te também. Abraça meus olhos com os teus.
Então sentirei que és real e palpável.
Se não fores capaz, respeitarei de bom grado teus limites.
Dá-me um beijo na testa, que entenderei teus temores e não te farei perguntas.
Ainda assim, serás, para mim, um amigo adorável.(Denise)


E me perguntas por que tantas ressalvas,
E eu te respondo sem hesitar:
-Quero que deixes as coisas às claras,
Quero que deixes de camuflar.
Sentimentos são livres como borboletas-
Posso deixá-las ir,
Ou com elas voar!
Não preciso, nem quero que te prendas
Às minhas oferendas
Pra te acarinhar....(Irinéa)